Apresentação

O Fórum Brasileiro de Pós-Graduação em Ciência Política - FBCP é um evento nacional que reúne a cada dois anos pós-graduandos, pesquisadores e docentes para o compartilhamento de experiências de pesquisa na área da Ciência Política. Além disso, objetiva a horizontalidade e a pluralidade, assim, leva em consideração a diversidade regional e institucional na escolha de seus coordenadores e trabalhos.


A 5ª Edição do evento foi realizada de 4 a 7 de julho de 2017 na cidade de Teresina, sendo a Universidade Federal do Piauí (UFPI), através do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, a instituição-sede do evento. Esta edição tem por tema “Caminhos da Democracia no Brasil” e teve como objetivo trazer para a cidade de Teresina as discussões acadêmicas a respeito do regime democrático brasileiro e sua trajetória político-institucional de consolidação, além de proporcionar para a região um momento de confluências de professores e pesquisadores da área, fomentando o intercâmbio de ideias.


A escolha desta sede foi feita a partir de eleição na plenária final do IV FBCP, em agosto de 2015, na UFF, em Niterói – RJ. A candidatura de Teresina como sede se pautou principalmente na inovação, já que o evento nunca aconteceu fora do eixo sul-sudeste do país, assim, sua realização no Piauí proporcionará a muitos discentes e docentes a oportunidade de participação inédita no FBCP. Trazer o Fórum para a UFPI representa descentralizar as discussões acadêmicas no país, proporcionando a experiência de protagonismo e diversidade.


O evento está em sintonia com a expansão e consolidação da Ciência Política no país, expansão esta que ocorreu principalmente através da criação de programas de pós-graduação: no ano 2000 eram 8 instituições, das quais apenas 3 contavam com doutorado; já em 2016 contamos com 15 programas de pós-graduação stricto sensu, dos quais 10 oferecem também doutorado. Expansão não apenas numérica, mas geográfica: até o início dos anos 2000, a pós-graduação em Ciência Política era concentrada no sul e sudeste do Brasil; mais de quinze anos depois, existem programas em todas as regiões do país.